Já pensou em conhecer a capital de um país que tem um ar de cidade do interior? Assim é Montevidéu, uma das mais pacatas capitais mundiais.

Construída às margens do Rio del Plata, a partir de um pequeno povoado de índios tapes e imigrantes das ilhas Canárias, em 1726, Montevidéu adquiriu o estatuto de cidade, sendo conquistada por Portugal em 1817. Com a Independência do país na chamada Guerra da Cisplatina, passou a ser a capital do Uruguai.

Nossa parada em Montevidéu foi bem rápida. Vínhamos de um mochilão pela costa do Uruguai, e acabamos gastando mais tempo do que o planejado para explorar as belezas de Punta del Diablo, Cabo Polonio, Punta del Este, Casa Pueblo e Piriápolis. Por sorte a Capital não é muito grande, e conseguimos aproveitar bastante nossa estadia por lá. Resolvemos te ajudar e reunimos todas as dicas para você curtir Montevidéu em dois dias sem perder tempo.

Rambla em Montevidéu
Rambla em Montevidéu

Leia Também:
– 7 Motivos para conhecer o Uruguai
– Mochilão pelo Uruguai: Planejamento, roteiro e custos
– Todas as Dicas para você conhecer o Uruguai sem passar perrengues

Como chegar:

A principal porta de entrada de Montevidéu é o aeroporto de Carrasco que fica situado a 18km de Pocitos e 24km da Cidade Velha (parte histórica da capital). A TAM e a GOL são as únicas companhias do Brasil que operam voos diretos para Montevidéu saindo de São Paulo e Porto Alegre.

Nós saímos de Punta del Este num ônibus da empresa Copsa (custou uns R$ 20,00) e em umas 3 horas desembarcamos na rodoviária Tres Cruces. O principal terminal de Montevidéu é uma excelente rodoviária que conta com um shopping internamente, e linhas para todas as principais cidades do país e de seus vizinhos. As outras duas principais viações do Uruguai são a Rutas del Sol e a COT. Através delas você consegue cortar o país de fora a fora. É tudo muito bem informado e explicado. Aproveitamos e compramos nossas passagens para Colônia del Sacramento no dia seguinte.

Onde ficar:

Montevidéu conta com bastante opção de hospedagens. Como tínhamos pouco tempo na cidade, preferimos nos hospedar próximo da parte histórica da cidade, onde tínhamos o endereço de 5 hostels. Depois de andar por 1 hora com as mochilas pesadas e não encontrar um quarto de casal livre, decidimos nos alojar em um quarto compartilhado no Red Hostel. O albergue fica em um casarão antigo e conta com uma boa infraestrutura e localização. Eles possuem um terraço com uma cozinha compartilhada super agradável e um café da manhã delicioso. Saiu em torno de R$ 36,00 para cada um em um quarto para 8 pessoas.

Para mais opções hospedagem em Montevidéu, tanto na parte histórica quanto em outra região, dê uma olhada nessa lista aqui do Booking, tem muita opção com desconto.

Dicas de roteiro de um final de semana em Montevidéu:

1º Dia:

A dica para o primeiro dia é visitar a Ciudad Vieja (Cidade Velha), que é onde se concentra as principais atrações turísticas. Como ficamos hospedados bem perto da região da Cidade Velha, começamos o passeio pela Avenida 18 de Julio em direção a Plaza Independencia. Uma excelente caminhada! Além de toda belíssima arquitetura de seus edifícios antigos, a avenida costuma ser bem animada, concentrando várias lojas, bares e restaurantes. Uma pena que chegamos num sábado de feriado de Páscoa, estava quase tudo fechado.

Após uns 10 minutos de caminhada, nos deparamos com a famosa Plaza Independencia. Localizada no limite entre a Cidade Velha e a área Central (antigamente conhecida como Cidade Nova), a praça é um dos principais pontos turístico de Montevidéu. Além de guardar um monumento e um mausoléu em homenagem a José Artigas (herói nacional), o entorno da Plaza Independencia é simplesmente fantástico.

Ali estão concentradas as principais construções arquitetônicas de da capital uruguaia. Já de cara, na esquina da Avenida 18 de Julio com a praça, você se depara com o edifício mais fotografado da cidade, o Palácio Salvo, um dos principais cartões-postais da capital uruguaia. Durante muitos anos este majestoso edifício foi o mais alto da América do Sul.

Palacio Salvo
Palacio Salvo
Palacio Salvo
Palacio Salvo

Em frente a Praça da Independência fica o Palácio Esteves. Outra obra histórica que serviu de sede oficial da presidência do Uruguai até 1985. Atualmente o palácio abriga o Museu da Casa do Governo e sua entrada é gratuita.

Também é ao redor da praça que se fica o Teatro Solis. Uma construção com uma arquitetura imponente, é o teatro mais importante de Montevidéu e um dos passeios mais interessantes da cidade, não deixe de passar lá.

+ Fotos de Montevidéu.

E para completar, a Plaza Independencia também abriga a Puerta de La Ciudadela. Uma porta que restou da fortaleza que protegia Montevidéu anos atrás. Hoje em dia é um dos lugares favoritos dos turistas para tirar fotos.

Ao passar pela Porta da Cidade, você chega a rua Sarandi. Uma via que não passa carros e que se estende até o porto de Montevidéu, abrigando várias lojas, casas de câmbio e barraquinhas de artesanato. Por causa do feriado a rua estava vazia e com poucos estabelecimentos abertos, então seguimos direto para o Mercado do Porto.

Palacio Esteves
Palacio Esteves
Teatro Solis
Teatro Solis
Puerta de la Ciudadela
Puerta de la Ciudadela

Um dos símbolos da Cidade Velha e de Montevidéu, o Mercado do Porto é um lugar famoso por oferecer uma das melhores carnes do país. Chegamos no fim da tarde no mercado e já estava quase tudo fechado (talvez por causa do feriado). Como a fome era grande, sentamos no primeiro restaurante aberto que encontramos (infelizmente não lembro o nome). Depois de olhar o cardápio, ficamos bem assustados com o preço. Comemos dois pratos deliciosos do típico churrasco uruguaio e mais dois refrigerantes, o que nos saiu em torno de R$130,00. Sem falar na pressa com que o garçom serviu tudo, e a insistência para que lhe desse a gorjeta. A comida estava muito gostosa, mas foi bem cara e o atendimento bem ruim, acho que eles queriam fechar logo.

+ Fotos de Montevidéu.

Outra dica fundamental para fazer a digestão após um almoço pesado no Mercado del Puerto, é dar uma passeada pela orla do Rio del Plata. Curtir o entardecer por lá é muito bacana e vale muito a pena. Mas fique esperto a hora de voltar. Apesar de Montevidéu ser bastante segura, a região central e da Cidade Velha não são tão agradáveis ao anoitecer. Preferimos pegar um táxi de volta para o albergue.

Mercado do Porto
Mercado do Porto
Montevidéu-2
Rambla perto do Porto de Montevidéu

2º Dia:

No segundo dia em Montevidéu, a dica é ir conhecer o estádio Centenário e o bairro de Pocitos. Um dos jeitos mais fácil de se chegar a esses e outros pontos turísticos da cidade é através do Bus Turístico, um ônibus de 2 andares que roda pelas principais atrações da cidade. Veja mais informações.

Como estava chegando no final do nosso mochilão, nossa grana foi ficando apertada e optamos em visitar o estádio centenário e o bairro de Pocitos usando o transporte público mesmo. Era um domingo de Páscoa, e a capital uruguaia estava mais pacata do que nunca.

+ Fotos de Montevidéu.

Ícone do Uruguai, o Estádio Centenário foi construído para a Copa do Mundo de 1930 em comemoração do centenário da independência do Uruguai e presenciou sua seleção ser campeã do mundial em cima de seu vizinho, a Argentina. Atualmente, o estádio é considerado Patrimônio Nacional da Humanidade, tendo em seu interior um Museu do Futebol que conta a história de sua construção e dos maiores clássicos já realizados no estádio.

Foi aí que tivemos nosso primeiro azar do dia. A visitação ao estádio e ao museu estavam fechadas por causa do feriado. Tiramos umas fotos de sua fachada e seguimos andando para Pocitos. Uma bela caminhada!

Placa no Estádio  Centenário
Placa no Estádio Centenário
Estádio Centenário
Estádio Centenário

Pocitos é um bairro residencial de classe média-alta, considerado por muitos como o “bairro da moda”, onde estão localizados vários cafés e restaurantes chiques. É uma área bem mais moderna que a Cidade Velha, um passeio muito agradável mesmo.

Em uns 20 minutos de caminhada a partir do Estádio Centenário você atinge a praia de Pocitos. A pequena Copacabana, como é carinhosamente chamada pelos uruguaios, é uma praia banhada pelo rio del plata. O nome da praia e do bairro vem da época em que as lavadeiras iam até a orla para lavar roupas, formando assim poços em sua areia.

+ Fotos de Montevidéu.

Com uma arquitetura de edifícios de 10 a 15 andares, Pocitos, atualmente, vem enfrentando uma forte especulação imobiliária que tem destruído as antigas casas em frente a praia. Cada vez mais autônomo do centro da cidade, o bairro de Pocitos possui excelentes serviços. Uma pena que o nosso tempo estava muito apertado, tínhamos um ônibus em direção a colônia del sacramento as 5 da tarde, acabamos não conseguindo desfrutar de tudo que Pocitos tem a oferecer.

Praia de Pocitos
Praia de Pocitos
Praia de Pocitos
Praia de Pocitos

Maior perrengue do nosso mochilão:

Depois desse breve passeio em Pocitos, partimos para pegar nosso ônibus para Colônia del Sacramento. Em 2 horas de viagem chegamos em nosso destino já anoitecendo e bastante cansados. Fomos procurar alguma hospedagem e tivemos nosso segundo encontro com o azar: como era Páscoa, não conseguimos encontrar vaga em nenhum tipo de acomodação, desde campings, albergues e hotéis. Depois de procurar por mais de uma hora decidimos partir direto para Buenos Aires e não conhecer Colônia.

As 9hs da noite estávamos embarcando em uma barca da empresa Seacat rumo a capital Argentina, deixando para trás a primeira cidade da história do Uruguai, Colônia del Sacramento. Esse foi nosso maior erro de planejamento durante o mochilão, e não acabou por aqui. Quando chegamos em Buenos Aires, já de madrugada ainda tivemos problemas para encontrar um Hostel. Mas no fim deu tudo certo, e você pode conferir todas as dicas de Buenos Aires aqui.

————————————————————————————————————————————————————–

Curtiu o post?

Então não deixe de compartilha-lo e de seguir a gente no Facebook, Twitter e Instagram, temos muitas dicas legais para te passar!

Beijos e abraços.

CsV

Author

Designer, blogueiro e empreendedor por natureza, sou amante de fotografia, viagens e da boa culinária. Após meu primeiro intercâmbio, criei uma paixão por viagens. De lá pra cá foram 2 mochilões, 15 países conhecidos, fora as viagens no Brasil. Fascinado por experimentar novos sabores, adoro combinar e inventar novas receitas.

Deixe seu comentário: